8.11.14

Perigosa Atração - Capítulo 10 (Último)

Capítulo dedicado à Sam e Priscilla ♥
 image

~

- Eu mal posso acreditar - Marie falou com entusiasmo. - Nunca pensei que Joe viesse a se casar algum dia. Imagine, o meu irmão, até pouco tempo atrás um solteirão convicto, está ansioso para se casar! E com alguém de quem eu gosto de verdade!

- Fico feliz ao vê-la tão satisfeita - Demi murmurou, um tanto insegura.

- Você está preocupada, não é mesmo? - Marie perguntou com delicadeza, ao notar o constrangimento da amiga ao abordarem o assunto "casamento". - Desculpe-me se estou sendo indiscreta, porém conheço o meu irmão muito bem e nestes dias que temos passado juntas, pude conhecê-la um pouco melhor, o que aliás só me tem trazido motivos de alegria. Acho que algo aconteceu entre vocês dois naquela noite do rodeio em Cody. Algo que a faz pensar que Joe a pediu em casamento apenas para apaziguar a própria consciência. O meu raciocínio está certo ou estarei fazendo suposições sem fundamento?

- Sim, Marie, você está certa - Demi concordou, sem coragem de negar a evidência dos fatos.

- É claro que Joe tem consciência, entretanto ele não se casaria com uma mulher somente para livrar-se de algum sentimento de culpa. Estou certa de que é assim e é melhor você acreditar que ele não tomou uma decisão dessas apenas por obrigação. E nos dias de hoje, não há preocupações exageradas em assumir um compromisso sério porque duas pessoas dormiram juntas.

- Talvez haja um bebê a caminho - ela falou, surpresa diante das próprias palavras. Como estava conseguindo se abrir com Marie, quando não fora capaz de tocar no assunto com Winnie? Jamais pensara ser capaz de expor sua intimidade a ninguém, entretanto sua futura cunhada tinha o dom de abordar temas delicados com naturalidade.

- Joe adora crianças, assim como Dwight e eu. Um bebê seria uma surpresa deliciosa. A fazenda precisa de herdeiros e todos nós gostaríamos de ver um bando de crianças correndo pela casa. A vida é uma dádiva que merece ser recebida com carinho em qualquer circunstância.

Demi tentou conter as lágrimas num esforço vão. Toda a angústia reprimida estava vindo, afinal, à tona.

- Eu agi daquela maneira porque não conseguia tirá-lo da cabeça. Joe foi o primeiro homem que me tocou o corpo e o coração. Entretanto, tenho medo de que com o passar do tempo ele venha a me odiar, culpando-me por tê-lo forçado a se casar. Sei muito bem que o casamento não fazia parte dos seus planos.

- Não, eu não creio nisso - Marie falou enxugando as lágrimas de Demi com carinho. - Você o transformou num outro homem, libertando-o de toda a amargura e desgosto. Nunca o vi tão sereno, tão feliz desde a morte do nosso pai. Joe perdeu muito da sua agressividade e tem estado mais calmo desde que a conheceu.

- Acho que Rance não concordaria com você.

- Rance mereceu a surra que levou. Não tenho pena daquele ser desprezível que sentia prazer com a infelicidade dos outros. Agora, anime-se! Chega de preocupações sem fundamento! Não vou deixar que você escape desse casamento, cunhada! Estamos todos alegres demais com a notícia para enxergamos problemas onde não existem.

O entusiasmo de Marie era contagiante e Demi voltou aos seus afazeres sentindo a alma muito mais leve. Se ainda tinha dúvidas, achou melhor nada deixar transparecer, pois o clima da casa já era de festa.
Naquela noite, depois do jantar, Joe a conduziu ao seu escritório e fechou a porta.

- Não fique nervosa - ele falou com um sorriso malicioso. - O sofá é muito pequeno e a escrivaninha nos deixaria com dor nas costas. Embora valesse a pena tentar...
Ela enrubesceu e o fitou cheia de amor.

- Como você ainda é capaz de corar de embaraço? Mesmo depois de tudo o que aconteceu entre nós, você ainda me parece uma garotinha inocente.

- Não tão inocente agora.

Joe beijou-a na testa com um carinho infinito e a estreitou num abraço demorado.

- Não sinta vergonha de ser mulher, Demi. Deus nos fez humanos e nos deu o prazer físico para garantir a perpetuação da espécie.

- E Ele também nos deu responsabilidade, para não transformarmos o sexo em algo puramente animal e sem sentido.

- Você é uma mulher muito especial - ele falou, emocionado. - Alguém que acreditou em mim quando ninguém mais o fez, que não se sentiu intimidada pela minha reputação ou pelo meu temperamento explosivo, e que se entregou porque sabia que eu precisava de você quase que com desespero. Demi, o que fizemos hoje e naquela noite, na cabana, é algo tão natural quanto respirar. Não é pecaminoso desejar alguém, principalmente quando os sentimentos vão além da necessidade física.

- Foi isso o que aconteceu?

- Sim. E hoje à tarde ficou ainda mais claro que o sentimento que nos une vai além do desejo de possuir um corpo. Esse tipo de atração costuma acabar, quando não há identificação das almas.

- Você estava tão... cheio de ternura...

Joe tomou-a nos braços, sorrindo ao sentir o corpo reagir no mesmo instante.

- E vai ser assim sempre. Meu Deus! Sinta o efeito que você tem em mim!

- Pare com isso! - Demi murmurou. - Não fica bem, alguém pode entrar a qualquer momento.

- Você é enfermeira e devia saber que está além do meu controle. - Ele a pressionou de encontro a si, seus lábios quase se tocando. - Demi, tire a minha camisa e beije a minha pele.

- Nós não devíamos... E se alguém aparecer?

- Vamos nos casar em breve, porém um pedaço de papel e algumas palavras de praxe não serão capazes de nos unir mais do que nossos corpos já o fizeram. Você faz parte de mim agora. Eu amo fazer parte do seu corpo, partilhar tanto prazer ao seu lado. Você se sentiria assustada se fizéssemos amor aqui?

- Não... não ficaria assustada - ela sussurrou acariciando o peito nu numa carícia sensual, sentindo-o estremecer ao simples toque dos seus dedos.

- Demi, acredite, o que temos experimentado juntos é tão importante para você quanto o é para mim. Eu sou um homem vivido, porém a emoção que sinto ao fazermos amor é totalmente nova. Me toque - ele pediu com a voz rouca, abrindo o zíper da calça. - Mais embaixo. Quero sentir as suas mãos em mim.

Demi hesitou por um instante e foi o suficiente para que  Joe lhe segurasse a mão e a espalmasse de encontro à rigidez da sua virilidade.
Quando ela o sentiu pulsar, deixou escapar um murmúrio de encantamento, o que o excitou ainda mais.

- Não pare, seu toque me enlouquece.

Logo estavam os dois sobre o sofá, beijando-se com avidez, desvencilhando-se das roupas com gestos apressados.

- Quando você se casará comigo? - Joe sussurrou, abaixando-se para sugar os mamilos eretos.

- Quando... você quiser.

- Sexta-feira?

- Mas é daqui a três dias!

- Eu sei, e parece longe demais! Vamos fazer um filho, Demi. Aqui, agora.

- Joe!

Ela se calou ao sentir que ele a penetrava, maravilhando-se com a facilidade com se tornavam um. As investidas foram ficando cada vez mais rápidas, o ritmo envolvendo-os num crescendo de paixão.

- Sim, é bom estar dentro de você, é bom demais possuí-la. Um dia ainda faremos amor no meio de uma floresta, e você poderá gritar o meu nome ao atingirmos o clímax, sem que tenhamos medo de que alguém nos ouça. Me beije com força, quero sentir o seu gosto.
Demi fechou os olhos e começou a mover os quadris de um modo lânguido, sensual, contorcendo-se de prazer, entregue às sensações que a atordoavam.

- Você não sabe o que está fazendo comigo, Demi. Essa é a emoção mais completa que jamais conheci. - Joe estremeceu e, sem poder conter-se, soltou-se dentro dela, os dois atingindo um orgasmo pleno, total. - Eu quero um filho! - ele gemeu no auge do êxtase.
Depois de algum tempo, Joe beijou-a no rosto e perguntou com suavidade: - Você ouviu o que eu falei no final?

- Sim. Você disse que quer um filho.

- Eu quero um filho nosso. Nunca havia pensado em constituir uma família, até encontrar você. Mas quando fazemos amor, só penso em engravidá-la!

- Eu não sou capaz de dizer-lhe "não"... E isso me assusta, pois sempre me julguei uma mulher independente, capaz de escolher os próprios caminhos racionalmente.

- Não tenha medo das emoções - ele falou sorrindo, enquanto ambos ajeitavam as roupas. – Quando estamos juntos somos tomados por uma febre louca, selvagem, fora de controle. Você é tudo o que eu sonhei um dia. Não sei como pude viver tanto tempo sem tê-la ao meu lado! Quando olho para trás, só enxergo o vazio, a falta de perspectiva.

- Você tem certeza de que não se trata apenas de uma atração física passageira o que o liga a mim?

- Se fosse apenas desejo, por que eu iria querer ter filhos com você? Por que pensaria em constituir uma família?

- Então eu aceito ser sua esposa.

- Há algo que eu preciso lhe dizer - ele falou, um pouco hesitante. - Um segredo que eu devia ter lhe contado antes de nos envolvermos. Não posso deixar que se case comigo sem que saiba a verdade.

- Seja o que for, sei que não terá importância.

- É o meu pai - ele começou com dificuldade. - Meu pai verdadeiro... está preso.

- Sinto muito. Mas o que tem isso a ver com o nosso casamento?
- Meu Deus! - Joe suspirou cheio de alívio e emoção. - Eu estava com tanto receio de lhe contar...

- Mas por quê? Não há motivo de ter vergonha.

- Você poderia ter medo de que os nossos filhos herdassem o sangue amaldiçoado do avô. Meu pai é um ladrão e tem tido problemas com a lei durante toda a sua vida.

- O Meio ambiente também é responsável pela formação do caráter das pessoas - Demi respondeu aninhando-se nos braços do único homem capaz de fazê-la sentir-se segura, protegida. - Talvez seu pai tenha tido uma vida dura e não foi forte o suficiente para escolher
o caminho certo. Ninguém nasce com o destino de se tornar um ladrão, porém as circunstâncias podem pesar demais na hora de se fazer uma opção. Não somos todos feitos da mesma fibra. Não pense mais nisso, tente perdoá-lo e esquecer.

- Eu não sei o que fiz para merecê-la, Demi.

- Você é um homem íntegro, cheio de qualidades raras. - Ela sorriu com um ar maroto antes de continuar: - Eu sempre fico sonolenta depois de fazermos amor. Será que é natural?

- É porque o nosso amor vai além da carne. Ele nos aquece a alma.

"Meu Deus!", Joe pensou entre surpreso e feliz. "Eu a amo de verdade! Ela é a mulher da minha vida!"

- Como você se sente a meu respeito, querida?

- Eu... eu te desejo.

- Sexo apenas não seria suficiente para você, não com a sua educação. Tente de novo, não tema dizer as palavras.

Ela hesitou, achando difícil desnudar a alma, expor os sentimentos, porém era isso o que ele queria vê-la fazer.

- É preciso muita confiança para falar sobre o que vai no nosso íntimo, não é? - Joe perguntou com ternura. - Mas eu confiei em você, contando-lhe o segredo doloroso que tenho guardado comigo.

O que ele estava dizendo era verdade. Ela sim, precisava lhe dar uma mostra de confiança.

- Eu amo você, Joe.

- De verdade?

- Com todo o meu coração.

- Então será para sempre, menininha!

- Para toda a eternidade!

Ele sentou-se numa poltrona e a puxou para o colo, ficando ambos em silêncio durante um longo tempo, saboreando um momento de felicidade perfeita.

- Agora você vai me contar sobre os seus pais. Será uma maneira de vencer o trauma.

- Eu não vou conseguir - Demi murmurou estremecendo.

- Sim, você será capaz. Somos parte um do outro e não há nada que não possamos partilhar. Fale-me deles. A tristeza fica mais fácil de ser carregada quando dividida.

Então ela falou dos anos em que haviam vivido em países distantes, das condições de extrema pobreza que tiveram que enfrentar, tendo por apoio apenas a fé.

- Meus pais nunca se mostraram abatidos e sempre acharam que o amanhã seria melhor. Nunca conheci pessoas como eles, capazes de dar a vida por um ideal, sacrificando o conforto e o bem-estar por uma causa que julgavam justa. E tudo mudou do dia para a noite, com  a  queda  do  regime  político  vigente.  Fomos  capturados  sob  a  acusação  de  oferecer  conforto  a prisioneiros políticos e, depois de passarmos uma noite na prisão, fomos levados ao paredão de fuzilamento. Meu pai e minha mãe foram os primeiros a serem mortos e eu fechei os olhos, sabendo que as próximas balas iriam me atingir. Mas então o milagre aconteceu e fui salva pela força de resistência. Um padre conseguiu me levar até a nossa embaixada e de lá eles me puseram num avião de volta para casa. Ao chegar, telefonei para Winnie, pois ela era a única pessoa em que eu podia confiar. Foi um pesadelo, e às vezes ainda acordo chorando no meio da noite.

- Se você chorar, eu estarei ao seu lado para confortá-la. A partir de hoje não nos separaremos mais.

- Mas Joe, e os seus irmãos? Eles vão perceber que estaremos dividindo o mesmo quarto!

- Não se preocupe, eu sairei do seu quarto antes do amanhecer. Ninguém notará nada. Se já será difícil estar longe de você durante o dia, à noite eu não poderei me controlar. Não quero deixá-la longe dos meus olhos! Pensei que você já tivesse percebido o quanto estou apaixonado, Demi!

- Oh, Joe...

- Eu nunca soube o que era amar, até encontrá-la. Viver sem você não era viver.

- Eu me sinto da mesma maneira - ela falou acariciando lhe os lábios com as pontas dos dedos.

- Eu seria capaz de morrer por você.

Ele fechou os olhos, entregando-se ao prazer de amar e saber-se amado. Nunca, até então, havia sentido uma emoção tão intensa ou tão especial.

- E a sua carreira, menininha? O seu trabalho como missionária?

- Eu não poderei mais me dedicar a ela e não seria capaz de pedi-lo para abandonar a fazenda e me seguir pelo mundo afora. Tampouco poderia ir sem você. Além do mais, há uma grande possibilidade de que eu tenha ficado grávida hoje. Estou no período fértil.

- É mesmo? - Joe perguntou, acariciando lhe o ventre. - Eu gostaria de uma família grande, porém se não formos abençoados com uma prole numerosa, há muitas crianças sozinhas, precisando de amor. Não é ter filhos que transforma as pessoas em pais, mas sim, criá-los.

- Você está certo, querido. Estou um pouco sonolenta agora - Demi murmurou sorrindo.

- Eu a deixei exausta. Acho que foi amor demais. É melhor sairmos daqui antes que aconteça de novo. Você faz de mim um homem insaciável.

- Espero poder mantê-lo dessa maneira, depois de casados.

- Eu me encarregarei disso. Tenho algo para lhe dar - ele falou abrindo uma das gavetas da escrivaninha e tirando uma caixinha de veludo.

Demi ficou radiante com o anel de noivado. Um único brilhante representava o compromisso que os dois assumiam.
Ela abraçou o homem amado, pensando que em sua vida não haveria mais lugar para pesadelos. Agora tinha alguém com quem dividir todos os momentos.

- Você quer que eu use uma aliança também, depois de nos casarmos? - Joe perguntou com seriedade.

- Claro! Se eu vou usar o símbolo do nosso amor, a sua marca, você também terá que usar a minha. Nos pertencemos e quero mostrar ao mundo!

- Gosto da idéia! - ele respondeu com um sorriso feliz. Joe sentia-se em paz. Ele havia conseguido exorcizar os seus fantasmas e virar a página do passado. Não deixaria que os erros do pai afetassem a sua vida e já podia viver com a idéia de ser adotado. Marie e Dwight o amavam, e isso era o mais importante de tudo.

Marie, Winnie e Dwight testemunharam a cerimônia íntima que fez de Demtria Lovato a sra. Joe Jonas. Ela usava um vestido branco, simples e elegante, e trazia nas mãos um buquê de margaridas. Joe nunca havia visto uma mulher tão bela, e não se cansava de dizê-lo.

- A coisa mais impressionante é que ninguém descobriu que estávamos dormindo na mesma cama antes de nos casarmos - Demi falou tão logo chegaram ao hotel de Yellowstone National Park, onde iriam passar parte da lua-de-mel.

- Mas dormir foi tudo o que fizemos, por causa da sua consciência delicada - Joe respondeu abraçando-a. - Porém eu nunca pensei que pudesse ser tão bom apenas segurá-la nos meus braços, mesmo sem fazermos amor.

- E agora nunca mais precisaremos nos separar, estaremos juntos para sempre.

- Você reparou no jornalista que nos esperava depois da cerimônia?

- Aquele que você mandou plantar batatas? - ela perguntou rindo. - Foi surpreendente ele me haver encontrado somente quando não tinha mais importância, pois todas as informações já estavam sendo liberadas ao público pelo governo do país. Eu virei notícia ultrapassada.

- Graças a Deus! Pelo menos ninguém mais vai estar ao seu encalço. Poderemos levar nossa vida sossegados.

- Eu só queria que meus pais tivessem conseguido escapar.

- Eu também - Joe respondeu com delicadeza. - Mas estou feliz que você o tenha conseguido. Me ame agora - ele sussurrou, cheio de paixão.

- Mas eu não sei como.

- Não se preocupe. Eu vou guiá-la.

E ele o fez. Os dois se amaram com uma paixão desenfreada, seus corpos se unindo numa avidez enlouquecedora. Quando a manhã chegou, encontrou-os ainda acordados, exaustos e, enfim, saciados.

- Bom dia, sra. Jonas. Foi bom para você?

- Pensei que ia morrer de tanto prazer.

- Eu também - Joe respondeu, resmungando um pouco ao sentar-se na cama. - Minhas costas estão doendo.

- Casado há apenas vinte e quatro horas e já está reclamando... - ela falou num tom de brincadeira.

- Eu não estou reclamando, Demi - ele respondeu sorrindo, admirando lhe a nudez perfeita. - Você é linda, por dentro e por fora. Você é o meu mundo.

- E você o meu. Acho que nunca conseguirei dizer-lhe, vezes suficientes, o quanto te amo.

- Eu adorarei ouvir você repetir. Agora, vista-se. Eu não sei de você, mas estou faminto.

- Eu também! Pensando bem, nós não jantamos ontem e hoje não tomamos o café da manhã e nem almoçamos! Passamos o dia inteiro na cama! Não é uma vergonha?

Depois de um jantar delicioso, eles foram dar uma volta, apreciando as montanhas e o lago sob o luar. Só se ouvia o barulho do vento, e era como se estivessem sós na terra.

- Amanhã é domingo - Joe falou ao voltarem para o quarto do hotel. - Eu fiz algumas perguntas e soube que há missa numa igreja perto daqui. Que tal irmos?

- Você gostaria mesmo de ir?

- Sim.

- Oh, Joe - ela murmurou tentando conter as lágrimas, sabendo o quanto aquele passo fora difícil para ele.

- Eu amo você - ele falou com firmeza. - De agora em diante estaremos sempre juntos, seja aonde formos.

Ela riu, tomada de uma felicidade grande demais para ser posta em palavras e, depois de alguns beijos, dormiu afinal.
 Joe ainda ficou acordado, admirando a mulher que descansava ao seu lado. Ela o despertara para o amor e curara as suas feridas, transformando-o num ser humano melhor e mais completo. Durante meses ele estivera à procura do seu lugar no mundo, de um lugar onde pudesse encontrar calma, tranqüilidade.
E finalmente havia encontrado: entre os braços de Demi estava a sua paz.
Joe fechou os olhos e sorriu, de bem consigo mesmo e com a vida.

~

E acabou! Não tem um epílogo, massssssss vou fazer de tudo para adaptar rápido a próxima história ok? Eu finalmente entreguei a maquete q eu estava fazendo e agora posso respirar! Comentem o que acharam, se gostaram ou não. Vou tentar achar uma história maior no futuro, a q estou adaptando é pequena tb (eu acho). Beijos, amo vcs!

PS: Visitem o meu outro blog (e da Mari tb) Emoção, começamos uma nova história lá ;)

11 comentários:

  1. Não sei se chorei mais por ter entrado e visto "último" no titulo, ou a dedicação do capitulo para mim e outra garota, ou pelo capitulo em si! O que o amor não faz com as pessoas não?! Eu não sei o que dizer do capitulo, só foi perfeito! Pena que não terá segunda temporada ou pelo menos um epilogo.. Eu achei que esse fim de semana não leria nada por causa do Enem, mas fiz o possivel para dar um pulo aqui e me alegro disso pois foi um otimo cap.
    E sobre a fic que eu falei, não me recordo o nome porque quem adaptou mudou e disse que iria dizer no final, só que abandonou o blog e disse que iria fazer outro :(
    Sam, xoxo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. awn ♥
      sim sim, tb achei...
      CMO VC ACHA Q FOI NO ENEM?????????????????? deve ter ido super bem ♥
      nhaw ♥
      tu lembra um trecho, a url, nome o blog ou da história? o q ela colocou...
      fiquei curiosa!
      bjs ♥

      Excluir
  2. não acredito que perdi toda essa fanfic. fiz de tdo para nao me atrasar, mas nao consegui :( época de provas, eu super ocupada... mas um dia eu leio! bjs e posta logo

    ResponderExcluir
  3. ai meu core! </3
    não aceito o fim dessa tbm, foi tão foda :")
    vou sentir muita falta dessa fanfic, mas tbm estou ansiosa para a próxima...
    então, posta logo. O/
    beijos, te amo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AHH E SOBRE O CAPÍTULO ANTERIOR...
      CHOREI HORRORES... P-E-R-F-E-I-T-O!
      COMO VOCÊ FAZ ISSO COMIGO?
      MY GOD! :")

      Excluir
    2. GENTE DSFFS Q LINDA ♥
      vou tentar terminar a próxima rapidão sgfdsah
      bjs, amo vc ♥

      Excluir
  4. Bru eu fico meia envergonha porque sei o quão chato isso é, mas estou escrevendo uma fic com minha prima, ela tem conta no animespirit e estar me ajudando, não são tão boas quanto a sua ou as da Mari mas se quiser dá uma olhada(momento sunny)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http ://socialspirit.com.br/fanfics/historia/fanfiction-demi-lovato-halfway-to-love-2710786 esqueci o link, eu separei pq as vezes não vai.
      Sam, xoxo

      Excluir
    2. CLARO, SAM! divulgada!
      vou tentar começar a ler, amei a sinopse ♥
      e n precisa ter vergonha n, não é chato, n quando vc é tão atenciosa aqui no blog...
      Beijos ♥

      Excluir
  5. Como assim você já concluiu 2 estórias? Primeiro, quero dizer que amei cada linha de cada estória. Os temas são diferentes #gostoassim
    Véi, esse final foi pacás, amei, ta tudo perfo. Espero a nova fanfic logo (meu coração jemi shipper não aguenta a demora fxfbcdyb)
    Mas, sério, estou ansiosa. Beijos!

    ResponderExcluir